quinta-feira, 30 de abril de 2015

Sexo até quando é ruim é bom. Não deixe essa prática de lado!






Há uns bons anos li “Homens são de Marte, mulheres são de Vênus” do John Gray. Em um dos capítulos o autor descreve a diferença entre homens e mulheres em relação ao sexo. O ponto de partida, o começo do ato em si, é bastante divergente entre os gêneros.

Os homens estão sempre prontos! É só pensar e partir para a ação. Algumas mulheres também tem esse botão de automático, algumas.

Depois de muito conversar com minhas amigas, colegas e amigos, cheguei à conclusão de que boa parte das mulheres se sabota, sexualmente falando. O cansaço e a correria do dia a dia acabam fazendo com que muitas delas deixem o sexo como quinta, sexta, décima ou última opção no seu dia.

E em uma coisa praticamente todos concordam: sexo é sempre bom

Mesmo quando não é tão bom assim.

Têm dias que o sexo é sensacional, de tirar o fôlego, do tipo uau! Em outros é só bom.

Se sexo é sempre bom, por que as mulheres o deixam para escanteio? É óbvio que tem coisa errada por aí.

Trocando em miúdos, as mulheres gostam de sexo mas precisam de muito mais estímulo para começar. E isso piora um tanto depois que os filhos nascem.

Então, o que fazer? 

Descomplicar, arrumar um jeito e não deixar o sexo passar em branco. Boa parte disso é um trabalho psicológico que temos que fazer com a gente mesmo!

A vontade de sexo é diretamente proporcional à quantidade que fazemos. Quanto menos sexo, menos vontade temos.

Pensando assim, e lembrando que o estímulo para começar é extremamente necessário para a mulherada, uma dica útil é pedir ajuda ao parceiro.

Pedir ajuda? Sim, exatamente isso. Peça para que seu parceiro insista, ainda que você esteja cansada, mal humorada, com dor de cabeça, ou qualquer outra coisa que a impeça de começar.

Explique que essa insistência tem que vir regada a carinho, beijinhos ou de uma pegada mais forte, mas nada dele jogar na cara: você que mandou! Isso não funciona como estímulo, muito pelo contrário.

Atitude é palavra de ordem, peça pra ele um pouco de criatividade.

Mensagens picantes ao longo do dia.

Beijos bem dados, todos os dias. O beijo é termômetro para muitos relacionamentos.

Combinar um jantar seguido de sobremesa, ou de uma sobremesa seguida de jantar.

Elogios ao pé do ouvido.

Uma voltinha numa boutique sensual para testar coisas diferentes, jogos de sedução, lingerie sexy. Este pode ser um passeio inspirador!*

Cada um sabe como provocar tesão no parceiro. E se não sabe, é a hora de descobrir.

Essa história de que casou, sossegou é balela. Se você está nessa situação, mexa-se. 

Sexo é um componente fundamental no casamento.

Um dos meus avôs morreu com noventa anos e era sexualmente ativo. Espero que minha avó não leia isso, senão ela vai corar!

Conheço vários casais, com diferentes frequências sexuais, que passaram por momentos de crise no sexo. Fases totalmente sem ação. Alguns retomaram, outros se separaram, uns poderiam estar juntos ainda... 

O que vale é não deixar a chama apagar, é cultivar o tesão. 

Cada casal tem seu jeito, mas isso não significa que as coisas tenham que ser sempre iguais. 

Inove, invente, investigue o que te estimula e o que estimula teu  parceiro. Não tem nada mais gostoso do que ser surpreendido positivamente.

Tá esperando o quê? É hora de partir para a ação!

Aproveite e beije também, ops leia também:
Beijo pra que te quero...

Andréa Cristina Figueira 




Fonte da Foto casal: Paula Paricio

Um comentário: